Imagem capa - Por que fotografar o nascimento do meu filho? por Gabi Coêlho
Mães e PaisGestantes

Por que fotografar o nascimento do meu filho?

Se você já tem um filho, sabe como as memórias do parto ficam um pouco embaralhadas, como dá vontade de saber exatamente como tudo aconteceu. Muitas vezes quem está acompanhando a gestante tenta dar conta do recado, mas, convenhamos, a emoção é grande para todo mundo. E, fora isso, parece que os equipamentos eletrônicos não ajudam muito nessas horas. Então não é raro as pessoas terem fotos de clarões e borrões no registro dos momentos mais lindos da nossa vida em família: a chegada dessas coisinhas que viram nosso mundo de cabeça pra baixo. Se você está lendo e a pessoa que ficou responsável por registrar, sabe como a responsabilidade é enorme nessa hora e como as mãos insistem em não obedecer exatamente ao que a gente quer que elas façam, né?

Se você está se preparando para ter um bebê, eu te convido a imaginar poder viver esse momento com intensidade, poder estar, junto com a pessoa que te acompanha, preocupada exclusivamente com você e o bebê, sentindo, chorando e rindo juntos. Não é mágico? Pois então a gente teria um combo maravilhoso (que eu adoraria ter tido no nascimento do Felipe, meu único filho): vocês terão momentos de carinho entre vocês registrados, coisas que escapam de nós enquanto nós vivemos, mas o fotógrafo está ali, atento, a postos, com os olhos e a câmera em busca desses detalhes, para que vocês possam ver quanto amor há aí no mundo que é só de vocês; terão fotos do que vocês não conseguem ver, o fotógrafo de parto se propõe a ser os seus olhos; e, mais ainda, nós construiremos o começo da história dessa nova vida. Já imaginou que incrível poder sentar com seu pequeno ao longo dos anos e repetir sem cansar - acredite, a gente nunca cansa de falar sobre amor e encantamento - a história da chegada dele ao mundo?



Eu amo fotografar famílias. Amo crianças, amo acompanhar o crescimento dos bebês de cada mãe que me procura – e eles acabam sendo um pouquinho da Tia Gabi também. Mas há algo nos nascimentos que me encantam mais profundamente. Há, no momento de um parto, uma atmosfera limpa, leve e repleta de amor e cuidado. Talvez nem todo mundo consiga sentir, não sei. Mas há um cheiro de esperança no novo, num mundo melhor; uma luz nova e cheia de vida que começa a brilhar e desconhece limites, que traz paz e harmonia consigo. Assistir a chegada de crianças ao mundo é, sem dúvida, sempre o meu melhor momento da vida de fotógrafa. E é por fazer com tanto amor, que eu acredito conseguir tocar o coração de quem olha esses trabalhos também com amor.